Cromo somos

“O riso é a única linguagem em que se expressam todos os povos da Terra.”

 

Charlie Rivel

A Cia. Cromossomos foi formada em 2013 a partir do encontro de artistas do Brasil, Espanha, Itália e Chile que se especializaram na pedagogia de teatro físico de Jacques Lecoq, na escola internacional de teatro Estudis-Berty Tovías, em Barcelona, onde trabalharam juntos durante 2 anos.

O nome Cromossomos se remete ao que há de comum e universal em todos nós, à combinação de um material “genético” tão vasto, que apesar da pluralidade de pensamentos e distintas trajetórias, forma um complexo e único DNA, em busca de troca e aprendizagem, de raízes e de viagem, de riso para juntar coragem e seguir na existência, na resistência.

Apadrinhados pela ONG Payasos Sin Fronteras e orientados pelo palhaço e diretor convidado Ésio Magalhães, em 2014 a Cia. Cromossomos realizou sua primeira caravana de palhaços aos acampamentos de refugiados saarauís em Tindouf, Argélia, no deserto do Saara. De volta ao Brasil e com sede na cidade de São Paulo desde 2015, a Cia. Cromossomos atualmente conta com 6 integrantes e segue circulando no centro e nas periferias da grande São Paulo e no interior do Estado. Por dois anos consecutivos (2016 e 2017), realizou as caravanas “Regenera Riso Doce” nas comunidades ribeirinhas do Rio Doce afetadas pela lama da Samarco e atualmente se prepara para circular pelos assentamentos do MST do Pontal do Paranapanema, com o projeto Palhassentar a Terra, contemplado pelo Proac Circulação de Circo de 2017.

 
 
Alih
0102_DSC4592_trat
TICKET 614
0122-2_DSC4681_trat
TICKET 549
0124-1_DSC4702_trat
16_01_22_-_Palladium_-_De_férias_-_Clowferencia_-_f_Tarcisio_de_Paula-2-4
16_01_23 - Palladium - De Ferias - Somos Cromossomos- f Tarcisio de Paula (26)
TICKET 447
TICKET 624

Por que a palhaçaria?

Após estudar diversas máscaras como a neutra, as larvárias, expressivas e as da Commedia Dell'arte, os artistas da Cia Cromossomos decidem aprofundar sua investigação acerca da menor máscara do mundo: o nariz vermelho.

           

No circo, o palhaço surge como uma contraposição aos “super humanos” capazes de realizar virtuoses inacreditáveis. Ele vem para nos lembrar que somos humanos, inconclusos, incompletos e imperfeitos.

           

A permissibilidade que o palhaço tem para errar, gritar e manifestar sua indignação com o mundo – questionar a ordem estabelecida e subverter o que é tido como normal – se dá pelo fato dele ser visto como um ser inferior, tonto, ingênuo e até louco. O palhaço é um espelho de nossa sociedade injusta e desigual, ele expõe suas contradições de forma lúdica e poética, é um “viajante das emoções”, segundo a definição do palhaço espanhol Jesús Jara. Isto é, sua função artística e social não é apenas provocar o riso, senão estabelecer relações de empatia e cumplicidade com o público, capazes de levantar reflexões sobre nosso modo de vida.

 
 

CONTATO

ciacromossomos@gmail.com
 
Telefone: 95802-0397 (Vivo) ou 97033-7123 (Tim)
  • Facebook - Black Circle
siga-nos pelo facebook
0122-2_DSC4681_trat

Foto: Tiago Barnabé