Palhaços

Aline Moreno, atriz e palhaça. Formada pelas Escolas Célia Helena (São Paulo) e Escuela Internacional de Teatro Berty Tovías  com pedagogía de Jacques Lecoq (Barcelona). Especializou-se na linguagem do palhaço estudando e trabalhando  com Mestres nacionais e internacionais. Atualmente desenvolve o Projeto Cromossomos em parceria com Palhaços Sem Fronteiras e estuda na ESLIPA (Escola Livre de Palhaços) na Escola Nacional de Circo.

O nome Donatella significa Presenteada, quando ela chegou ao mundo todos ao seu redor estavam contentes no entanto mal sabiam os outros o que vinha pela frente, tão leve como uma brisa e tão devastador como um furacão ela possui uma personalidade forte e elegante sendo considerada uma combinação raríssima ou seja extraordinária. Tem habilidades de desorganização, desordem e atrapalhação. Um dos principais acontecimentos da sua vida foi o afastamento do desenho “Tartarugas Ninjas” sendo substituída pelo seu irmão, Donatello em consequência disso entrou no vício da Nutella onde tenta sair até os dias de hoje.

Arthur Eder Toyoshima, palhaço, ator e professor. Formado na Escola Internacional de Teatro Fisico Berty Tovias (Barcelona). Estudou com maestros especializados na linguagem de palhaço no Brasil, Espanha, França, Inglaterra e Suiça. Atuou em duas expedições aos acampamentos de refugiados saarauís. Hoje em dia, pesquisa a linguagem de máscaras, improvisação, palhaço e é professor de teatro físico na Escola Nacional de Teatro. 

Palhaço Jean Pierre veio diretamente do Japão para França, gostou muito dos crepes Suiços e foi adotado por uma família espanhola. Daí seu nome ! Se apaixonou pelo arroz com feijão e resolveu morar no Brasil, mas toda vez que vai a padaria, e pede um pão francês, lembra-se de sua família que deixou no Japão. Hábil, versátil e pocket, já trabalhou como atendente de televendas e motoboy. Não contente um dia resolveu experimentar um nariz vermelho, o mundo veio abaixo, a iluminação chegou, a eletropaulo arrumou o poste que estava com problemas na frente de sua casa. 

Júlia Barnabé, atriz, palhaça e marionetista. Formada na Escola Internacional de Teatro Fisico Berty Tovias (Barcelona). Pesquisa a linguagem do palhaço e da comicidade física desde 2006. Realizou apresentações como palhaça e marionetista em importantes festivais na Espanha, França e Brasil. Atualmente trabalha também com a Cia Buzum! de teatro de bonecos.

Abigail gosta de minisculidades e de dar vida a seres inanimados. Tem trejeitos saltitantes, tentou ser acrobata mas caiu de cabeça e ficou tonta demais. Seu forte é a abobrinha, seu dom é falar pelos cotovelos. Coleciona trocadalhos do carilho. Dorme demais, já foi ajudante de mágico sonanbulista. Fez estágio de leitura de mãos e constelações de pintas com uma cigana no viaduto do chá, mas não crê em determinismo astrológico. Pedala muito rápido porque tem pressa. Não teve sucesso na carreira de entregadora de pizzas, pois sempre acabava comendo um(s) pedaço(s).

Lívia Tejas, atriz, palhaça, pesquisadora e professora. Especializou-se na pedagogia de Jacques Lecoq na Escuela Internacional de Teatro Berty Tovías (Barcelona). Estudou com grandes mestres do palhaço e teatro físico no Brasil, Espanha, França, Alemanha e Suiça. Apresentou-se em festivais na Europa e no Brasil. É integrante do CEPECA (Centro de Pesquisa em Experimentação Cênica do Ator - ECA/USP) e da Cia. Cromossomos e professora da Teatro Escola Macunaíma.

Carmen Serafina. Nasceu numa família fina, mas sempre teve problemas para se relacionar com salto agulha. Criança, descobriu que sofria de cantarolização aguda e aproveita tal condição para seduzir pretendentes esguios (ou baixos, gordos, retos, curvilíneos... candidatos, por favooor?!?!?). Graduou-se em “Tropeços e Levantadas” e “Gargalhadas de Si Própria” na Universidade do Estreito de Sê Lá Ví. (Lá também aprendeu a ser brutamontes e isso lhe gerou uma confusão de personalidade). É especialista em “como impedir que insetos e objetos entrem em seus cabelos” – apesar de colecionar um monte por lá. Não sabe de parafina, às vezes quer ser grã fina, mas no fundo é gente fina.

Tamy Dias. Atriz e palhaça. Formada no curso de teatro no INDAC (2010) e no método Jacques Lecoq pela escola Estudis - Berty Tovias, em Barcelona (2014). Trabalhou com a CIA Arlequim de 2005 a 2010, realizou dois espetáculos durante sua estada em Paris, em 2011. Atualmente, termina sua formação em Letras na USP, trabalha com a CIA Cromossomos e o Grupo Teatral Parlendas.

Pascoalina, que menina!

Adora adrenalina.

Quando anda, ela patina.

Quando veste descombina.

Quando canta desafina.

Quando fala rebobina.

Mas a mina! Imagina!

Ilumina cada esquina

Quando imita gelatina.

Paulo Candusso, ator, palhaço e professor, especializado na pedagogia de teatro de Jacques Lecoq e sua continuação em Thomas Prattki na LISPA (London International School of Performing Arts).

Já lecionou e apresentou no Brasil, Inglaterra, Argentina e Itália Fundador da Casa11, escola de teatro e espaço base do Grupo Laje, do qual faz parte. Já se apresentou e ministrou cursos em diversas cidades do Brasil, Inglaterra e Itália.

Em uma noite de tempestade, um raio vindo do céu atingiu um Pau-Brasil e através de alguma alquimia misteriosa, de um teco de galho desta árvore, nasceu Gambito. Do alto dos seus 1,72 e meio se locomove pelo mundo com seus dois gambitos abaixo da cintura, gosta de misturar doce e salgado numa mesma bocada, adora jogar jogos e pipoca pro alto.

Voltar ao Cromo Somos